Não se pode amar verdadeiramente alguém sem amar profundamente a si mesmo

Aprender a amar a si mesmo deveria ser como aprender português ou matemática. Uma disciplina básica ensinada desde os primeiros anos da escola.  Quando nos amamos fazemos melhores escolhas – amigos, profissão, alimentação, parceiro.

Amar nossa melhor e pior parte é um exercício que exige dedicação diária, mas quando isso acontece,  nos tornamos mais fortes e confiantes.

Acreditamos merecer o melhor. E isso não significa ser intolerante com o outro, ao contrário, sabemos o que podemos trocar e estabelecemos relações igualitárias.  Sem amor próprio, nos tornamos “raivosos”, “exigentes” e com grandes expectativas, pois o outro, seja parceiro, amigo ou chefe não é capaz de fazer aquilo que apenas você consegue – amor profundamente suas melhores e piores partes.

11391311_1844916992399294_174708719341869484_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *