Saiba ouvir as mensagens do seu corpo

percepcao_corporal

 

Semana passada, conversamos sobre o programa de treinamento em Atenção Plena (Mindfulness) que comecei a fazer. No primeiro momento, aprendi que o Mindfulness pode me ajudar a sair do piloto automático, descontruindo velhos hábitos e construindo novos. Sem dúvida, isso continua sendo um desafio, e a ideia é continuar praticando ao mesmo tempo em que vou desenvolvendo novas habilidades, como uma maior conscientização corporal.

 

É possível dizer que a maioria de nós não teve muito ou nenhum treinamento para observar a própria respiração, bem como os sinais vindos do corpo. Por anos a fio, somos treinados a criticar e a sonhar com padrões de perfeição inatingíveis, e por isso talvez não seja um exagero dizer que somos ensinados a não amar o próprio corpo, afinal ele é cheio de imperfeições. Então, para que iríamos prestar atenção em algo tão imperfeito?

 

Demoramos a perceber que a mente e o corpo funcionam conectados de maneira que um influencia o outro incessantemente. Há tradições em Terapias Corporais que concebem corpo e mente como indivisíveis, ou seja, não seria nem a questão de influenciar, e sim de compreender que o corpo está na mente e que a mente está no corpo. Para além dessa questão, o que quero chamar atenção é que os estados mentais alteram as sensações corporais e provocam emoções diversas, assim como as sensações, as posturas e os movimentos do corpo alteram os estados mentais.

 

Você já deve estar se perguntando: “Em que essa informação pode me ajudar?” Lembra-se do piloto automático do post anterior? Pois bem, para que possamos estar na vida “vivo”, ou seja, existindo no “presente” e não apenas seguindo os padrões já enraizados pelo piloto automático, é necessário aprender com o corpo, observar seus sinais, a maneira como ele nos envia mensagens importantes e a forma como estamos sendo afetados por algo ou alguém. Quando passamos a ouvir essas mensagens de modo mais habitual, podemos alterar a forma como “reagimos” às situações. Perceber que um movimento altera nosso estado emocional e vice-versa pode ser libertador, pois nos permite alterar nosso funcionamento de uma maneira geral.

 

As primeiras meditações de exploração do corpo foram muito desafiadoras, pois me permitiram perceber como minha mente atua para me fazer desvencilhar da percepção corporal. Isso aconteceu, por exemplo, quando eu colocava meu foco de atenção em sentir os meus pés. Pude notar muitas distrações aparecendo e até mesmo uma mistura de tédio e desinteresse. Tudo isso faz parte de qualquer funcionamento mental, e comigo não seria diferente. Ao contrário do que o senso comum acha, aprender a meditar não é eliminar o funcionamento da mente, mas é ser capaz de acompanhá-lo gentilmente. Quando fui acompanhando, pude perceber minhas distrações provocarem sensações corporais, e o contrário também. A ideia é continuar praticando e ampliando, assim, minha consciência corporal.

 

Semana que vem, mais observações e experiências para você! Deixe seu comentário!

Adna Rabelo – Psicóloga

CRP: 05/48233

Revisão: Elaine Canisela 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *